Tivemos o Primeiro caso de Malária na Família

Incentivo à Publicação de Livros Angolanos
julho 31, 2019
Situação em Angola fica difícil
outubro 24, 2019

Tivemos o Primeiro caso de Malária na Família

Quando viemos para Angola, sabíamos do riscos que estávamos correndo. em 2013, quando estive aqui pela primeira vez nosso filho Wesley tinha apenas 3 anos de idade. Lembro de sermos interpelados sobre trazer um bebê de três anos para um lugar assim. Rose respondeu que oramos por 12 anos para ter nosso filho e Deus em sua infinita misericórdia, nos atendeu. Não poderíamos agora usar essa bênção como desculpa para não fazer a obra dELe.
O mesmo pensamento nos dirigiu de volta a Angola agora para um período mais longo de tempo .Agora com 9 anos de idade o Wesley contraiu malária na ultima semana.
As notícias que lemos no Brasil é que esta é uma doença devoradora de missionários, que mata sem piedade, e isso não deixa de ser verdade, mas existe também um outro lado da moeda. No passado contrair malária era morte certa, pois não se conhecia o ciclo da doença, nem sua real causa, nem muito menos tinha um tratamento. Os próprios fundadores da SIM (agencia da qual fazemos parte) morreram de malária no continente africano há 126 anos atrás. Wesley teve os sintomas no domingo na hora do almoço, a tarde as 18 horas ele já tinha um diagnóstico confirmado através de exame de sangue feito em um hospital missionário aqui de Lubango e as 19 horas já estava medicado. Esse presteza garante que aquilo que poderia ser uma tragédia seja algo tranquilo e normal. Malária em Angola e como gripe no Brasil. As pessoas aqui não tem medo dela, basta tomar remédio.
Perigoso e quando ela não é tratada e os cuidados necessários não são tomados.
Wesley passou mal dois dias e nos assustou bastante, pois não parava de vomitar. Ele não corria risco com a malária mas poderia ter problemas com desidratação. Muitas pessoas no Brasil oraram por ele e as horas foram passando e ele não melhorava. Mas na segunda-feira a tarde Deus começou a fazer o milagre. Duas horas antes de ele ser internado para tomar soro para se hidratar a situação começou a mudar. O Vômito parou e ele conseguiu tomar líquidos, e na hora da consulta ele ja estava bem. Graças a Deus ele não precisou ficar internato e ainda esta se tratando, (o ciclo de tratamento dura em torno de 7 dias) mas passa bem.
Muito obrigado a todos que oraram e colocaram nosso filho aos pés do Senhor. Sua oração fez a diferença.
“Deus é o nosso refúgio e fortaleza! Socorro bem presente nos dias de tribulações” Portanto “Não temeremos mal algum pois o Senhor está conosco”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *